ADOÇÃO: O mais sublime ato de amor.

25 de maio é o Dia Nacional da Adoção, gesto sublime que expressa amor incondicional. O amor de um pai ou de uma mãe pelo filho é um laço forte e sanguíneo, nasce de dentro, vem do ventre materno na medida em que cresce a barriga, deságua com o parto, como se fosse um rio desaguando no mar, inunda o coração puro e amável de uma mãe.

André e Elizete Lanzoni com filhos e neto.

Mas o filho de adoção é concebido pelo coração que dilacera e vai crescendo como se fosse a outra barriga de uma mãe. Não há diferenças de afeto, carinho e cuidados para quem tem como base o amor, que não tem cor, não tem raça, não tem preconceitos. Só quem adota, tem o dom  reconhecer a importância e o significado do laço que une uma mãe a um filho adotivo.

Elizete, Ígor e Átalo (filhos adotivos)

Com admiração menciono o casal André Luiz Alves e Elizete Lanzoni Alves, que além dos 02 filhos (Nássara e Víctor Gabriel) consanguíneos, buscaram no ato da adoção aumentar a família acrescentando mais 03 (três) filhos, exemplo de que ADOÇÃO é um ato de amor que vai além de laços físicos.

Os filhos Ígor (14 anos) e Átalo (10 anos) são os filhos menores que crescem a cada dia  no meio de uma família exemplar, recebendo por igual, educação,  dedicação, carinho, afeto, respeito,  e o maior de todos os ingredientes que faz uma família crescer unida e feliz: O amor, que excede qualquer obstáculo.

Hoje, cerca de 47 mil crianças e adolescentes esperam por uma oportunidade de adoção, por trás dos problemas sociais estão a dor e o abandono de quem sonha e alimenta a esperança de um dia, poder ter um lar e uma família, ou apenas: amor e carinho.

Fotos: Arquivo da família
Redação: Sande Moraes

Leave a Comment

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *